S.L. BENFICA – Sporting (1-0)

Mais uma vitória suada.

Jesus escalou o seguinte onze:

Artur;

Maxi Pereira, Jardel, Garay e Emerson.

Javi Garcia, Witsel, Aimar, Bruno César e Gaitán.

Cardozo.

No seguimento do jogo de Manchester, o BENFICA realizou uma exibição mais de garra que de gala.

O Sporting entrou melhor no jogo, mas uma jogada estudada entre Aimar e Gaitán na marcação de um pontapé-de-canto transformou o encontro. Aimar cobra o canto para a entrada da área e Gaitán, sem deixar a bola bater no chão remata de primeira e faz a bola bater no poste quando Patrício estava completamente batido.

Foi o ponto de viragem no jogo, o BENFICA começou a fazer transições defesa-ataque mais rápidas e perigosas.

Jogava-se mais perto da baliza leonina quando aos 42 minutos, após um canto na esquerda do ataque do BENFICA, Aimar cruza para a área e Javi Garcia cabeceia para o golo!

1-0 à beira do intervalo.

Na segunda metade, é novamente o Sporting quem entra melhor, Carrillo, fazia o que queria de Emerson, (como é possível um jogador mediano como este ser presença habitual no onze do Benfica), neste jogo, devido à sua medíocre exibição, o “Benfas” jogou com menos 1 em muitas ocasiões, ou, como no início do jogo, com menos 2, devido ao começo de Jardel, (outro jogador que não entendo como faz parte do plantel), totalmente aterrador, sem acertar um passe.

Quando o BENFICA começava novamente a equilibrar o encontro, Cardozo, (outra nulidade), achou que era melhor reclamar uma falta do que correr atrás da bola e foi expulso.

A partir desse momento, corria o minuto 63, foi o sufoco total, Jesus alterou nesse preciso momento o modo de actuação da equipa, fazendo entrar Rodrigo, Rúben Amorim e Nolito para o lugar, respectivamente, de Aimar, Bruno César e Gaitán.

A equipa passou a defender com 10, abdicando de atacar. Foi sufocante, mas a verdade é que veio ao de cima o espírito de união que uma equipa que aspira vencer todas as competições onde está inserido deve ter.

Destaque especial para as exibições de:

Garay, o patrão da defesa na ausência do capitão Luisão. Sempre atento e sem nunca tremer, mesmo durante os largos minutos do sufoco, quando o Sporting, em desespero de causa, recorreu ao “chuveirinho” para a área.

Javi Garcia, não só pelo golo, mas pela segurança defensiva, recuperando inúmeras bolas e pelo apoio que prestou quer aos centrais, quer aos laterais.

Witsel, combativo quando foi necessário, artista após a saída de Aimar. É um jogador completo que alia uma técnica fantástica a um poder físico impressionante e que se desdobra com o mesmo brilho quer na defesa, quer no ataque.

Aimar, nas alturas  em que o “Benfas“esteve por cima do jogo, sempre passou pelos pés de “El Mago” todo o jogo “encarnado”. Por outras palavras, Aimar foi o “jogo” do BENFICA.

O destaque, tal como contra o Manchester, vai para Artur Moraes. A “muralha branca” foi, mais uma vez, intransponível. Se o BENFICA saiu deste jogo com os 3 pontos, a ele se deve.

Foi um jogo sofrido onde a união, o querer, a luta, a coragem e a garra venceram!

HBarreiros

Anúncios

One thought on “S.L. BENFICA – Sporting (1-0)

  1. Rui Mascardo diz:

    Foi suado!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: