Montanha russa, salada de frutas e o BENFAS no meio…

Depois das vitórias com o Santa Clara, 2-0 (onde o “Nélito” Oliveira fez o primeiro golo pela principal equipa do Benfica), e Marítimo, 3-0 (para a Taça da Liga), e Gil Vicente 3-1, Feirense 1-2, e Nacional 4-1, (para a Liga) o Benfas teve que ir jogar à Russia, contra o Zenit…

Não podia ter acontecido em pior altura a malta ir jogar “lá acima”… Passo a explicar:

Este jogo tinha tudo para dar errado, e de facto deu. Os mais optimistas acreditavam que tudo continuaria igual com a ida à Russia, mas havia elementos negativos a mais para dar certo…

1- (-)15 graus, (que é menos 12 graus que a temperatura que está no congelador. Conseguem imaginar-se a jogar à bola dentro de um congelador? Agora imaginem que está 12 graus mais frio. Ah pois…).

2- Jet lag, para os mais desatentos, (O Jet lag [descompensação horária] é uma condição fisiológica que é uma consequência de alterações no ritmo circadiano. As alterações podem provocar uma mudança do trabalho do organismo), peço a vossa atenção para a frase a bold. Ora, se os jogadores do Benfas estavam a dar um “granda baile” a todas as equipas que lhe apareciam à frente, se há uma “mudança do trabalho do organismo”, o que vai acontecer é que a partir dali é o Benfica que passa a “levar baile” de todos.

3- O terreno de jogo, campos como o do Zenit só mesmo em Trás-os-Montes e chamam-se batatais. Gostava de ver a UEFA permitir que um Real Madrid ou um Barcelona jogassem ali…

4- O caceteiro Alves, (sim, esse mesmo que Jesualdo “o sábio” Ferreira disse um dia nunca ter visto dar um pontapé em ninguém), que manda para o estaleiro, (e para fora de forma), o Rodrigo, que vinha a ser há muitos jogos o elemento mais destacado da equipa.

Foi quase um milagre não ter havido lesões “mais sérias”, mas de facto este jogo poderá ter marcado a época inteira. Vejamos:

Logo depois, o Benfas vai a Guimarães e faz o pior jogo da vida, leva “1 na boca” e fica logo com a diferença de 5 feita num 2… Primeiro jogo no qual começo a pensar “este JJ deve estar a ter um AVC”. A equipa não joga, porque de facto, não consegue, e o Jorge no banco quietinho até aos 85 minutos… WTF?!

Passado o pesadelo, (e a paralesia), de Guimarães, penso: “Pronto, os gajos já se recompuseram, agora vem aí a Académica para desenjoar…” Nada mais errado. Novo jogo muito apagadinho do Benfas, e nem as desajudas do trio de arbitragem com cheirinho a fruta da época podem servir de desculpa. O Benfica falhou tantos golos em Coimbra como no resto do campeonato, o Peiser se mantiver o nível que mostrou contra o SLB, na próxima época vai jogar para o Milan, o Nélson Oliveira começa a despertar a cobiça dos “gigantes” da Europa, 2º jogo em que penso “este JJ deve estar a ter um AVC”… Ah e a vantagem de 5 pontos de há duas semanas atrás passou a zero… Mesmo à entrada do jogo com o Porto. Estranho… não?

O grande jogo da época, (como a fruta do parágrafo passado), foi tudo o que se esperava. Bom futebol, viragens no resultado, emoção e um cheiro muito intenso a salada de frutas! Não é fantástico? Não.

Não é porque mesmo com a maior taça de salada de frutas do mundo, o Benfica podia, (devia), ter saido da Luz com os 3 pontos, com a confiança em alta e com uma vantagem de 3 pontos na tabela. Mas em vez disso o JJ teve a ideia de fazer uma lobotomia antes do jogo e o V. Pereira mostrou que quem arrisca até vai petiscando alguma coisa… Foi tão gritante que quando o V. Pereira tirou o Rolando e passou a jogar com 3 defesas eu pensei: “Pronto! Ganhámos o jogo! Agora só falta o JJ meter o N. Oliveira do lado esquerdo do ataque, (uma vez que o Ma(r)icon deixou o lado direito da defesa do Porto e juntou-se a Otamendi no centro), e o Porto vai sair daqui com o cabaz cheio”. Na verdade eu tenho de deixar de ter estes pensamentos épicos porque saem sempre ao contrário… A juntar ao atraso mental do Jesus, o Proença, (que adora fruta), fez o resto e a diferença de há 3 jogos passou de 5 positivos a 3… negativos.

Volta a Champions e a equipa de orgulho (e sabe-se lá mais o quê) ferido, até corresponde. Duas batatas nos russos que é para eles não terem a mania que gostam de batatais… Quem esteve em foco foi, mais uma vez, “Nélito” Oliveira, que entrou e marcou passados 10 minutos, e o “Gordo” César que também jogou bem.

O Porto cansado de um jogo a meio da semana para a Champions ou para a Liga Europa… Hein? Encostou com a Académica, e só não foi de “boca ao chão” porque o Pinto da Costa deve ter acenado com um maracujá  ao árbitro Marco Ferreira, que, como bom madeirense pensou imediatamente em poncha, vai daí pediu logo um “Penalty” que já estava a ficar sequinho…

Logo ali ao lado o Glorioso jogou com o Paços de Ferreira e ía levando umas mesinhas de cabeceira para casa, não fosse o JJ (finalmente) acordar do marasmo em que tem andado, ao intervalo ter dito: “que é esta merd@?” e ter metido o “Nélito” Oliveira e o Gaitán que em menos de nada mostraram a toda a gente que até é fácil… quando se é bom.

Como nota final, resta-me dizer que no mercado de inverno o Benfica foi buscar o irmão gémeo do Saviola… mas eu prefiro o antigo.

HBarreiros

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: