Sabedoria de Café

Foi ontem à noite que entrei num café com dois amigos, um de cada nação do pontapé na bola da 2ª Circular, que partilham comigo o gosto pela crítica desportiva venenosa mas com piada, e também pela surpresa histórico-futebolística de destaque.

Pois bem, nesse insuspeito e recôndito café de uma localidade chamada Laranjeiro, um grupo de sábios animados pelas emoções do recém-terminado Real Madrid – Barcelona e, seguramente, por uma vasta ingestão de líquidos de maior ou menor grau etílico, dava largas à livre expressão verbal dos seus enciclopédicos conhecimentos do nacional chuta chicha.

A coisa era, ao que parece, entre “verdes” e “vermelhos”, dando a sensação de que a balança pendia para o lado de um profundo conhecedor afecto aos de Alvalade, mas apenas até ao momento que um seu oponente, de sorriso amplo e tonitroante no verbo, ameaçou de modo amável mas pouco sóbrio: – Pois vou contar-te uma coisa que a maioria dos sportinguistas não sabe!

Temi que se tratasse de um benfiquista prestes a ser engolido pelos protestos dos seus adversários, mas, para minha surpresa, ficaram todos em expectante silêncio. E ele perguntou: – Sabes quem foi um dos fundadores do Benfica, sabes?

Pareceu-me parvo perguntar tal a um sportinguista, sem que isso deixasse de aguçar-me a curiosidade. E os outros calados…

– Foi o Damião de Góis, que era sportinguista! – exclamou, ao que se seguiu a aprovação geral.

Sou, portanto, um afortunado. Fiquei logo ali a saber que o Benfica data, então, do séc. XVI, e que o presidente Jorge Nuno bem pode começar a dar voltas à cabeça para inventar uma desculpa que faça o seu clube mais antigo que o dos encarnados da capital. Mas se quiser respeitar o bom rigor histórico, de certeza lhe acrescerão dificuldades.

É que todos sabem que o Belenenses foi fundado pelo Velho do Restelo (outra vez séc. XVI) e que os Catataus são apenas um erro histórico de documentação da verdadeira origem do clube.

Mais complicada se torna a tarefa se pensarmos que o fundador da Académica de Coimbra foi D. Dinis, que além de plantar pinhais gostava de universidades e de livres directos.

Claro que ainda assim, não pode de modo algum pedir meças ao fundador do Vitória de Guimarães, D. Afonso Henriques, um tipo teso que bateu na mãe para ter um país e um clube que pudesse legar a Pimenta Machado.

E nem sequer vem aqui à colação a origem do Académico de Viseu, fundado por um pastor guerreiro de seu nome Viriato no tempo em que os romanos achavam que jogar à bola de sandálias era giro. É que há quem levante dúvidas quanto à própria existência desta personagem (por certo menos do que as levantadas pela que o presidente diz ser a verdadeira data de fundação do FCP).

A propósito, o Damião a quem o nocturno sábio queria referir-se era Cosme Damião, un dos 24 fundadores do SLBenfas, e o homem a quem o clube deve a existência depois da dissidência de vários dos seus jogadores para o Sporting, em 1907.

Já o referido sábio retirou-se para vale de lençóis atirando da porta um lapidar: – Eu, em futebol, sou um catedrático!

Paulo A. Moreira

Anúncios

One thought on “Sabedoria de Café

  1. jotas diz:

    Essa do Damião de Góis está notável, eh eh eh, não só nas sábias palavras do senhor, o Benfica foi fundado no sec.XVI, como o Sporting também, porque se o Damião já era sportinguista, logo também já existia. Foi pouco ambicioso o Pinto ao aldrabar a data de fundação do seu clube, devia ter recuado séculos e não apenas um. Eh eh eh.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: