Category Archives: Ser Benfiquista

Sport Lisboa e Benfica, o maior!

A revista inglesa “Four Four Two” divulgou a lista com as melhores equipas DE SEMPRE da história do futebol mundial.

benfica-1960-1961

Como não poderia deixar de ser, no top 20 está o Benfica, em oitavo lugar, numa equipa onde pontificavam, entre outras estrelas, Eusébio, Costa Pereira, Germano, Coluna, José Águas e Simões.

benfica

Durante este período, o Glorioso venceu duas Taças dos Campeões Europeus, em 1960-1961 diante o Barcelona por 3-2, e na temporada seguinte contra o Real Madrid por 5-3.

A lista com as 20 melhores equipas:

1 – Ajax de 1965 a 1973
2 – Milan de 1987 a 1991
3 – Real Madrid de 1955 a 1960
4 – Barcelona de 2008 a 2011
5 – Liverpool de 1975 a 1984
6 – Inter de Milão de 1962 a 1967
7 – Santos de 1955 a 1968
8 – Benfica de 1959 a 1968
9 – Bayern de Munique de 1967 a 1976
10 – Torino de 1945 a 1949
11 – Celtic de 1965 a 1974
12 – Manchester United de 1995 a 2001
13 – Independiente de 1971 a 1975
14 – Juventus de 1980 a 1987
15 – Dynamo Kiev de 1985 a 1987
16 – Boca Juniors de 1998 a 2003
17 – Preston North End de 1888 a 1889
18 – Borussia Monchengladbach de 1970 a 1979
19 – Budapeste Honved de 1950 a 1955
20 – Nottingham Forest de 1977 a 1980

Onde estão os andruptos? Não estão…

HBBARREIROS

Anúncios

Plantel 2013 – 2014

1 artur moraes

1 – Artur Moraes

3 steven vitória

3 – Steven Vitória

4 luisão

4 – Luisão

5 fejsa

5 – Fejsa

6 ruben amorim

6 – Rúben Amorim

7 cardozo

7 – Óscar Cardozo

8 sulejmani

8 – Sulejmani

9 funes mori

9 – Funes Mori

10 djuricic

10 – Djuricic

11 lima

11 – Lima

12 cortez

12 – Cortez

13 paulo lopes

13 – Paulo Lopes

14 maxi pereira

14 – Maxi Pereira

15 ola john

15 – Ola John

16 siqueira

16 – Siqueira

18 salvio

18 – Salvio

19 rodrigo

19 – Rodrigo

20 gaitan

20 – Gaitán

21 matic

21 – Matic

22 mitrovic

22 – Mitrovic

24 garay

24 – Garay

28 silvio

28 – Sílvio

30 andre gomes

30 – André Gomes

33 jardel

33 – Jardel

34 andre almeida

34 – André Almeida

35 enzo perez

35 – Enzo Perez

41 oblak

41 – Jan Oblak

50 markovic

50 – Markovic

70 joao cancelo

70 – João Cancelo

90 ivan cavaleiro

90 – Ivan Cavaleiro

HBBARREIROS

Faz-me lembrar…

Sei que Eusébio é Eusébio e não quero comparar Markovic ao Pantera Negra, até porque enquanto jogadores nem têm características semelhantes, mas assim que vi esta foto do sérvio após o golo marcado aos lagartos no fim-de-semana passado, lembrei-me de uma das fotos mais célebres do “King”.

marcovic golo eusébio

19 anos, a mesma alegria de jogar, a mesma gana e muito futebol nos pés.

HBBARREIROS

TRISTE!

Estou triste…

Triste

… e para já, é só.

HBBARREIROS

Equipamentos doBenfica para a época 2012-13

O Benfica apresentou oficialmente, os equipamentos para a época 2012/2013, em cerimónia realizada no Sky Bar do Hotel Tivoli, em Lisboa.

A camisola do equipamento principal recupera a gola utilizada no ano do centenário, ao passo que a alternativa volta a ser de cor preta, como no último título de campeão nacional, em 2009/10.

Foram vários os jogadores do plantel encarnado que marcaram presença na cerimónia, entre os quais os reforços Ola John, Hugo Vieira, Luisinho e Michel, bem como os regressados Alan Kardec, Carlos Martins, Rodrigo Mora e Enzo Pérez.

Acabo todos os anos por me apaixonar pela nova camisola… Este ano não foi excepção. Não sei como, mas de alguma maneira o novo “manto” é mais bonito que o do ano passado, embora, no passado ano tenha tido a certeza que não haveria camisola mais bonita nos próximos anos… Mas eles conseguem sempre…

Este ano estou particularmente apaixonado pelo equipamento principal de mangas compridas.

Parece um dos equipamentos dos anos 80.

Para os dois serem perfeitos falta apenas o equipamento secundário ser branco… será para o ano?

HBBarreiros

Sinto-me orgulhoso! Obrigado rapazes!

O Benfica perdeu esta noite com o Chelsea. Mas o resultado nem sequer é importante…

O que se passou no campo foi grandioso, diria mesmo GLORIOSO.

11 jogadores (durante 39 minutos), e depois 10 jogadores (durante o resto do jogo), lutaram contra os jogadores do milionário Chelsea, contra a equipa de arbitragem, contra a vontade da organização da Liga Milionária, que, como o próprio nome indica, só é acessível a milionários (pelo menos desde que Platini assumiu a liderança da UEFA), lutaram.

Hoje o Benfica não perdeu. Não se perde quando o sentimento é de orgulho!

Sinto-me orgulhoso por ter visto os nossos rapazes baterem o pé a um sistema que nunca os deixaria chegar mais avante.

Todos vimos o que se passou durante os 90 minutos, não vou sequer falar de casos. Deixarei isso para os sapientes da arbitragem, mas estava tudo escrito, desde o minuto 59 da primeira mão (ainda na Luz), quando “ninguém viu” a mão de Terry.

Gostei de ouvir os nossos companheiros Benfiquistas que foram a Stamford Bridge mostrar que ninguém grita mais que nós, porque o que temos na alme é enorme. É o Benfica.

Vou querer ver o jogo da meia-final, e regozijar-me com o sistema. O mesmo sistema que não deixou o Benfica ultrapassar o Chelsea, não vai deixar o Chelsea ultrapassar o Barcelona. E os ingleses, que agora sorriem por terem “esse senhor” como amigo, chorarão ao perceber que na próxima eliminatória ele se vai passar para o lado do Barcelona, o mais poderoso. Por muito que os ingleses joguem no conjunto das duas mãos, vão existir casos dos quais Di Matteo e os seus jogadores se vão queixar. Aí vão perceber porque se gritou o nome de Platini num jogo dos quartos-de-final…

Hoje os nossos rapazes foram grandes!

Emerson fez o melhor jogo que o vi fazer desde que chegou ao Benfica. Penso que é bem melhor central do que lateral-esquerdo. Caso Garay e Jardel não recuperem, prefiro que seja o brasileiro a fazer dupla com Luisão frente ao Sporting e que Javi Garcia volte ao seu habitat natural. Mostrou que o querer, por vezes, é tão ou mais importante que o talento. Emerson, por ser quem é, por estar adaptado, por ter dado tudo pelo Benfica, merece aqui o destaque. Obrigado Emerson!

Artur fez o que lhe competia. O Chelsea fez 5 remates em todo o jogo. 3 foram à baliza. 2 entraram. Uma estatística pouco grata para o guarda-redes. Cech teve muito mais trabalho (e sorte). Mas o brasileiro mostrou com duas boas defesas que a baliza encarnada está bem entregue. Obrigado Artur!

Maxi Pereira foi capitão, mas pouco. Não deixaram que fosse mais do que 39 minutos. Do outro lado Obi Mikel, que foi bem mais duro durante o jogo só viu um amarelo aos 78 minutos, quando deveria ter visto essa mesma cartolina aos 28 (por falta sobre Aimar ao pisar o tendão de aquiles do argentino), e aos 45+1 (por falta sobre Aimar quando este se preparava para entrar na àrea). Enquanto esteve em jogo o uruguaio foi igual a si mesmo, nunca deu um lance por perdido e disputou todas as bolas como se fossem a última da partida. Obrigado Maxi!

Capdevila mostrou, uma vez mais, que está longe de estar acabado. Se na 1ª mão, Ramires disse que o ponto fraco do Benfica era o lado esquerdo da defesa (referindo-se a Emerson), na segunda mão, em Londres, o perigo do Chelsea não passou por ali. Ramires bem tentou, mas Capdevila mostrou a sua classe e experiência, que este ano tanta falta nos fizeram em alguns jogos. Obrigado Capdevila!

Javi Garcia parecia estar na sua posição de raiz de tão natural que os cortes lhe sairam, com os pés ou com a cabeça. No lance do “penalty” deu um encosto no jogador do Chelsea, mas a verdade é que já vi grandes-penalidades destas não serem assinaladas… Até já vi piores não serem assinaladas… Javi, um jogador “à Benfica”, que nunca se dá por vencido, foi à área contrária assinar o golo que ainda permitiu ao Benfica sonhar. Obrigado Javi!

Matic fez um grande jogo. Não sei se de raiva por estar a jogar contra o seu antigo clube, mas a verdade é que o sérvio foi uma unidade muito importante para o dominio encarnado no jogo. É alto, desengonçado, mas nada tosco e sem se dar por ele, rubricou uma grande exibição. Um jogo de garra. Obrigado Matic!

Witsel não sabe jogar mal. Não perde uma bola. Faz lembrar Rui Costa na forma como trata a bola. Witsel poderá hoje ter assinado a sua despedida do Benfica, porque depois de um jogo como o de hoje onde começou a box-to-box, passou algumas vezes pelo papel de organizador, quando Matic encostava mais a Javi e Emerson, Witsel assumia a parte defensiva do meio-campo, acabando a defesa-direito, e sempre sem jogar mal, sem perder uma bola, é impossível que passe muito mais tempo despercebido aos grandes “tubarões”. Obrigado Witsel!

Aimar é Aimar. Não há palavras que melhor descrevam o argentino. É a magia, a arte, o perfume da equipa. Hoje, a espaços, andou metido no meio da luta. Tentou, também ele lutar contra os moinhos de vento que ameaçam o futebol europeu. Por seres apenas tu. Obrigado Aimar!

Bruno César, “o gordinho”, o “chuta-chuta” também tentou, como os outros, remar contra a maré. Mas quando Maxi (o seu grande apoio na direita), foi expulso, tudo se tornou mais complicado. Jesus teve fé nele e foi deixando que o brasileiro fosse ficando em campo. Quando “estoirou” foi substituído, mas com sensação de que mais não podia fazer. Obrigado Bruno César!

Nico Gaitán fez, esta noite, o papel de miúdo reguila. Desetabilizando os ingleses com o seu drible curto e contagiante. Mostrou que o futebol inglês assenta como uma luva às suas características. Se Alex Ferguson viu o jogo de Gaitán não o vai deixar querer fugir. Obrigado Gaitán!

Oscar “Takuara” Cardozo esteve uns furos abaixo do que nos habituou. Ainda assustou Cech num remate dentro da área após jogada estudada. Valeu Terry ao Chelsea a tirar em cima da linha. Desta vez não houve golos do paraguaio, mas está mais lutador. E isso agrada! Obrigado Cardozo!

Nélson Oliveira podia ter sido o herói da eliminatória quando, à passagem do minuto 87 preferiu rematar de trivela em vez de colocar a bola em Yannick Djaló que estava mais bem posicionado, no entanto, N. Oliveira trouxe velocidade ao jogo da equipa, com a sua entrada o Benfica que estava a adormecer, tornou-se mais pressionante, e isso fez também com que o Chelsea recuasse e acabasse por sofrer o golo. Obrigado “Nelito” Oliveira!

Yannick Djaló foi uma agradável surpresa. Entrou aos 60 minutos e em meia-hora conseguiu ser o elemento mais perigoso da noite. Dois remates muito perigosos e movimentações no interior da área que o deixaram à vontade para cabecear num par de vezes, deixam antever um bom final de época para o ex-Sporting. Se aprimorar a finalização será um caso sério. Esta noite só precisou de um pouco mais de sorte. Obrigado Yannick!

Rodrigo está a voltar. Esta noite entrou aos 71 minutos e já mostrou alguns pormenores que fizeram dele um dos elementos mais queridos dos adeptos. Ao entrar para o lugar de B. César, foi posicionar-se do lado esquerdo e Ivanovic tremeu. Obrigado Rodrigo!

Uma palavra de apreço também para o “mister” Jesus que nunca baixou os braços, tentando levar a equipa para a frente. Hoje mostrou que com um pouco mais de sorte no conjunto das duas mãos teria conseguido dobrar a “mão de Platini”. Obrigado “mister” Jesus!

Nota final para os adeptos. Os jornais falavam em 3100. Na rádio ouvi mais de 3500. Para mim foram 6 milhões. Porque representaram quem não esteve, foram a nossa voz, a voz da nossa indignação. E mostraram ao mundo a grandeza deste clube! Obrigado a todos os que estiveram em Stamford Bridge!

Obrigado Benfica!

HBarreiros

Eu quero!

Inspirado pela capa do jornal “A BOLA”, recuperei a confiança perdida algures entre St. Petersburgo e a semana passada, e voltei a acreditar!

Acredito que possamos fazer um bom jogo logo à noite e ganhar ao Braga.

Acredito que vamos dar a volta a este mau momento e no fim desta jornada estaremos em 1º lugar, porque acredito que o Porto não ganhe a um incómodo Olhanense.

Acredito, porque como disse o “Velho Capitão” Mário Wilson, “Se não acreditasse, não estaria aqui. Estaria no Rossio a vender preservativos”.

É esta alegria que um golo, uma vitória me traz que me faz acreditar!

Força rapazes!

HBarreiros

Ser Benfiquista!

Sigo o Benfica desde pequeno.

Sei a História, conheço os jogadores, mesmo aqueles que jogaram muitos anos antes de eu nascer.

Interesso-me por cada detalhe da vida desta instituição. Porque mais que um clube. O Benfica é vida e História.

Quando em criança me ofereceram um galhardete do “Benfas” soube que estava apanhado para o resto da vida. Depois foi só trabalho de manutenção (muito bem feito, diga-se), do meu pai.

Porque para além de vida e História, o Benfica é herança.

Sei que quando um dia tiver filhos, vou também eu pegá-los pela mão, (como o tal galhardete me pegou a mim), e ensinar-lhes o que é o Benfica. Explicar-lhes, (porque o sentimento não se ensina), aquilo que me acompanha diariamente, que faz com que ande sempre meio desacordado por estar a pensar que equipa vai entrar de início no domingo, ou que aquele passe do jogador “X” deveria ter sido feito para o “Y” que estava claramente mais bem posicionado que o “Z”. Explicar-lhes que cada vez que a bola entra na baliza adversária fico tão contente que era capaz de correr desde casa até ao estádio só para abraçar o autor do golo, (ainda que seja o mesmo jogador a quem momentos antes tinha chamado todos os nomes que não se podem dizer), mas que bom mesmo é estar lá, na Catedral e abraçar pessoas que nem conhecemos mas que partilham do mesmo sentimento que nós. Também eles passam os dias desacordados a sonhar com aquele preciso momento.

Porque para além de vida, História e herança, o Benfica é partilha e sonho.

Não consigo explicar (os sentimentos não se explicam), o que sinto quando penso no Benfica. Limito-me a sentir. Quase como um adolescente que nutre um amor platónico por uma qualquer estrela inatingível. Ser do Benfica é estar permanentemente apaixonado.

 Porque para além de vida, História, herança, partilha e sonho, o Benfica é amor. O Benfica é paixão!

HBarreiros